Dismorfia: Como Você Se Enxerga no Espelho?

Daiana GarbinVocê já deve ter ouvido que ‘toda mulher sempre quer emagrecer uns 2 quilinhos’, né? Essa frase inofensiva por esconder, no entanto, uma insatisfação que está além do normal. A dismorfia é um problema que acontece bastante com quem nunca está feliz com sua aparência.

Esse transtorno, conhecido já há muitos anos, voltou a ser debatido recentemente, com a esposa de Tiago Leifert, Daiana Garbin. A jornalista deixou a Globo para se dedicar a um canal no youtube dedicado a falar sobre o assunto. Considerada um exemplo de beleza natural, Daiana revelou odiar seu corpo desde a infância, já tendo feito vários procedimentos estéticos, incluindo lipoaspiração, para tentar se gostar mais ao olhar no espelho, tudo sem efeito.

Entenda melhor como reconhecer a dismorfia e que tipo de tratamento você deve seguir se estiver sofrendo com este transtorno:

  • Ditadura: não adianta, a gente está cercado de padrões de beleza impossíveis por todos os lados. É uma atriz que emagrece muito, um cantor que fica bombado, tudo indica que não estamos com o corpo ideal. A diferença é que quem sofre de dismorfia passa a sofrer com isso a ponto de ter problemas sociais e psíquicos, podendo ter depressão e até começar a se machucar.

  • Imagem: alguma vez você já sentiu nojo do próprio corpo por causa de uma gordurinha a mais saindo pra fora da blusa? Tudo bem não se sentir 100% confortável, mas existe um limite entre não estar se curtindo muito e se odiar completamente. Neste transtorno, é comum transformar um defeitinho numa grande tragédia que te impede de ser feliz o tempo todo.

  • Características: nem sempre a dismorfia está relacionada à obesidade ou ao sobrepeso. Alguém que está insatisfeito com sua imagem corporal pode detestar o quadril largo, as pernas muito finas ou grossas, a barriga, as orelhas, os pés, etc. Tudo vira motivo de tortura pessoal.

  • Sintomas: ficar tristonho por não servir naquela roupa é algo passageiro. No transtorno, o mau humor pode ser constante, trazendo dificuldades de convívio com amigos, pretendentes, trabalho, entre outros. O isolamento é bastante comum e em casos mais avançados, comportamentos suicidas também aparecem.

  • Tratamento: é importante que, a qualquer sinal de dismorfia, um profissional especializados seja procurado. Um psicólogo ou psiquiatra pode ajudar bastante a retomar a consciência corporal verdadeira e a compreender que a doença é que te faz enxergar de uma maneira tão deturpada. Um psicoterapeuta é também uma opção que pode ajudar muito.

Para encerrar, vale repetir sempre que você não precisa ter um corpo iguais aos das novelas para ser feliz. Emagrecer deve ser uma maneira de te ajudar a ficar melhor, não uma obrigação que te faz ver uma pessoa completamente diferente no espelho. Não hesite em procurar ajuda se achar que está indo além dos seus limites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *